Borboleta-pavão (Aglais io)


Borboleta-pavão (Aglais io)
A Borboleta-pavão (Aglais io) é uma das mais bonitas borboletas que podemos observar no nosso país.

Mas não pense que aqueles quatro falsos olhos enormes que exibe nas asas se destinam a torná-la mais atraente… Pelo contrário, mostra-os para assustar os predadores, em especial, aves que ficam inseguras quando vêm olhos abertos.

Para os pequenos roedores, possui um mecanismo que produz uma espécie de assobio que também os afasta. Nem sempre, claro…

A outra curiosidade reside no seu aspeto tão diferente de quando tem as asas abertas ou fechadas. Confira as duas fotografias…

Borboleta-pavão (Aglais io)

Atabão

Sabe o que é um atabão?

Atabão é como se designa uma variedade de mosca cavalar (Tabanus bromius) no linguajar monchiqueiro.

Atabão (Tabanus bromius)O atabão entra frequentemente pelas janelas abertas dos nossos carros…

É uma mosca bastante maior do que as moscas vulgares e que se alimenta de sangue. As suas principais vítimas são o gado cavalar, asinino e vacum, mas, se lhe dermos essa facilidade, também gosta de sugar o dos humanos.

A sua ferroada é ligeiramente dolorosa e, ao retirar, deixa uma pequena ferida de sangue corrente.

Como vive habitualmente ao ar livre, é frequente entrar pelas janelas dos carros e debater-se furiosamente contra os vidros, pelo que todos nós, tarde ou cedo, teremos a oportunidade de receber a sua visita.

Consulte estes e muitos outros vocábulos que fazem parte da cultura oral da Região de Monchique, adquirindo a 2ª edição do Glossário Monchiqueiro.

Faça a sua encomenda pelo email refoias@gmail.com, telemóvel 933 204 852 ou ainda por mensagem privada no Facebook (https://www.facebook.com/refoias), por apenas 15€ mais despesas de envio.

Atabão (Tabanus bromius)

Abelharuco-comum ou europeu (Merops apiaster)

Para ver o slideshow, clique na imagem, se faz favor.

O Abelharuco-comum ou europeu (Merops apiaster) dispensa apresentação. Por cá, temos poucas aves que lhe cheguem aos calcanhares em termos de colorido. É, de facto, de encher o olho.

Como o nome indica, alimenta-se preferencialmente de abelhas, que apanha em voo, e de outros insetos voadores como vespas, borboletas e gafanhotos. Assim sendo, tornou-se uma grande dor de cabeça para os apicultores, que, obviamente, o detestam.

Passa metade do ano connosco reproduzindo-se durante maio e junho em buracos de cerca de dois metros que escava horizontalmente em ribanceiras. Na outra metade, durante o nosso outono e inverno, vai lá para as bandas de África onde a temperatura é mais agradável.

Para ver o slideshow, clique na imagem, se faz favor.

Frango-d’água (Rallus aquaticus)

Frango d'água (Rallus aquaticus)
O Frango-d’água (Rallus aquaticus) é considerada uma das aves mais difíceis de observar. Não por se tratar duma espécie rara mas por ser muito furtiva e serem necessárias muita paciência e perseverança para a conseguir descortinar por entre a densa vegetação em que costuma movimentar-se.

Mas vale bem o esforço para, no final, obter fotografias como estas. As suas diversas cores e tonalidades são extasiantes e o seu andar furtivo muito interessante. E, já agora, é de referir também o seu canto que, como um bocado de vontade, se pode confundir com o grunhido dum suíno…

Duvido que volte a ter uma oportunidade como esta. Assim como apareceu, desapareceu. Foi num ápice…

Frango d'água (Rallus aquaticus)

Caimão-comum ou Galinha-sultana (Porphyrio porphyrio)


Caimão-comum ou Galinha Sultana (Porphyrio porphyrio)
O Caimão-comum ou Galinha Sultana (Porphyrio porphyrio) é uma linda ave que pode ser observada por quase todo o Algarve com relativa facilidade. Há poucos anos estava praticamente extinta no nosso país, mas recuperou e, actualmente, já alastrou até a algumas zonas do Alentejo.

Da família da Galinha-de-água (Gallinula chloropus) e do Galeirão-comum (Fulica atra) com os quais tem algumas semelhanças, é bastante mais corpulento e colorido, mas partilha com eles o mesmo habitat.

Curiosamente, adaptou-se à vida moderna, sendo frequentemente ‘apanhado’ em alguns campos de golfe do Algarve, como aconteceu com o exemplar apresentado numa destas fotografias que comia relva enquanto se passeava no golfe da Quinta do Lago.

Caimão-comum ou Galinha Sultana (Porphyrio porphyrio)

Pintassilgo-comum (Carduelis carduelis)


Pintassilgo-comum (Carduelis carduelis)

Quem não conhece o Pintassilgo-comum (Carduelis carduelis)?!… Com as suas três cores mais salientes – vermelho, amarelo e preto – que lhe conferem uma beleza invulgar, tem sido desde sempre uma das maiores vítimas do aprisionamento efectuado pelos humanos.

Na minha juventude – lembro-me ainda – era moda mantê-los prisioneiros, em minúsculas gaiolas, só para deleite visual dos respetivos ‘donos’. Atualmente, ainda acontece mas em muito menor escala, pois trata-se duma ave protegida e também há uma maior consciencialização das pessoas que vão começando a aprender a respeitar os animais.

Nesta época do ano, como a generalidade das restantes aves, está em fase de reprodução e é relativamente fácil vê-lo a alimentar as crias nos ramos das árvores. Adora sementes de cardo, embora também se alimentem de outras e até de insectos.

Pintassilgo-comum (Carduelis carduelis)

Alvéola-amarela (Motacilla flava)


Alvéola-amarela (Motacilla flava)

A Alvéola-amarela (Motacilla flava) é a mais vistosa das três espécies de alvéolas que visitam o nosso país. Todas elas estão agora a nidificar por cá e são relativamente fáceis de encontrar por aí.

Sempre a movimentar a cauda para cima e para baixo, tem como cor predominante o amarelo, tal como o nome indica.

É um passarinho muito lindo com o qual convivi de muito perto, na minha infância, pois nidificava, ano após ano, nas proximidades da casa onde fui criado. Por isso, nutro uma especial simpatia por ela.

Alvéola-amarela (Motacilla flava)

Águia-pesqueira (Pandion haliaetus)

Para ver o slideshow, clique na imagem, se faz favor.

A Águia-pesqueira (Pandion haliaetus) é uma das maiores águias existentes no nosso país. E também uma das mais raras.

Só agora consegui fotografar uma, e não nas melhores condições, ao passear-me pelo Ludo enquanto ela surgiu voando do mar para o barrocal levando nas garras aquilo que me parece ser um magnífico robalo apanhado nas águas da Ilha de Santa Maria.

Espero que me desculpem pela fraca qualidade das fotografias. Publico-as na mesma apenas por saber que, dificilmente, voltarei a ter outra oportunidade de fotografar esta espetacular ave da rapina que tem como preferência alimentar sargos e robalos. Tal como eu…

Para ver o slideshow, clique na imagem, se faz favor.

Mais uma Super-Lua


Super-LuaSuper Lua – 20-03-2019

Mais uma Super-Lua. A terceira deste ano, o que dá, até agora, a bonita média de uma por mês.

Mas não se iluda, só haverá outra daqui a um ano. Dizem os astrónomos que será no dia 9 de março de 2020.

Como sempre, nasceu deslumbrante, ainda que com algumas nuvens a lhe roubarem, de vez em quando, uma pequena parcela do seu esplendor…

Pisolithus tinctorius

Para ver o slideshow, clique na imagem, se faz favor.

O ‘Pisolithus tinctorius‘ é um cogumelo bastante peculiar, de nome popular um pouco rude mas muito adequado: ‘Bufa-de-velha‘.

E digo adequado porque, na sua fase terminal de vida, se lhe tocarmos, larga os seus milhões de esporos para o ar, em forma de nuvem amarela e muito compacta.

É muito frequente e extremamente resistente. Como poderá verificar nas fotografias do slideshow, para se desenvolver, consegue até abrir uma brecha no asfalto da estrada e surgir à luz do dia…

Para ver o slideshow, clique na imagem, se faz favor.